Guia cultural e empresarial

Estabelecer-se na China

Introdução

A China ainda é considerado um grande mercado que gera maravilhosas oportunidades e desafios, mas ainda poucas empresas Europeias sabem exatamente como adaptar a sua dinâmica a este enorme país.

Existem diferentes modos de abordar e entrar em tal mercado e as empresas Europeias normalmente têm uma abordagem por fases. Por vezes exploram o mercado ao comprar ou exportar pequenas quantidades e através destes testes obtêm conhecimento sobre a visão geral.

Realmente, cada empresa deve procurar a melhor solução que mais se adapte às suas necessidades e objetivos e é recomendável que dependa de profissionais viáveis para aumentar as possibilidades de sucesso e esteja atualizado/a sobre as regras e regulamentos Governamentais em constante mudança (http://www.pndp.net/chinas-new-company-registration-and-administration-regime/)

Como gerir o seu negócio na China?

De forma geral, pode encontrar diferentes soluções e estruturas de investimento sobre como abordar o mercado Chinês. Certamente muitos fatores devem ser tidos em consideração quando se tomam decisões tão importantes.

A empresa que pretende abordar o mercado Chinês deve focar-se em alguns aspetos chave tais como o âmbito do negócio e o tipo de investimento. O âmbito do negócio tem um valor importante que deve ser cuidadosamente selecionado pois a descrição da atividade da empresa irá aparecer no registo empresarial e assim apenas as atividades incluídas na descrição podem ser realizadas, enquanto outras atividades que não estejam incluídas na descrição não podem.

ER - Escritório de representação

Um escritório de representação pode ser uma forma útil de investigar o mercado Chinês. É provavelmente a estrutura de investimento mais fácil de estabelecer na China para uma empresa estrangeira, mas naturalmente tem limitações. O ER é geralmente proibido para quaisquer atividades com fins lucrativos, como tal uma organização com um ER não pode emitir faturar ou comprar/vender ou outras atividades operacionais. De forma geral, o ER é um instrumento “base” para compreender o mercado através de investigação empresarial e atividades de criação de redes de contacto.

É estritamente proibido pela lei para o ER assinar contractos e negócios em nome da empresa principal e não pode, e forma alguma, representar outras empresas que não a principal.

Informação adicional pode ser encontrada em:

http://www.pathtochina.com/reg_ro.htm

EPTE - Empresa de Propriedade Totalmente Estrangeira

Uma EPTE é a estrutura de investimento mais comum e pode ser totalmente propriedade de um investidor estrangeiro.

Pode envolver-se em quase todo os tipos de negócios, e dependendo da atividade, podemos indicar três diferentes categorias de EPTE:

  • EPTE de produção: quando a EPTE apenas se envolve na produção
  • EPTE de consultoria: quando a EPTE se envolve em consultoria e serviços
  • ECIE (Empresa Comercial de Investimento Estrangeiro): quando a EPTE se envolve em operações de Negociação, Comércio Grossista e Retalhista e Franchising (pode também ser estabelecida como JV)

Para além do facto de uma EPTE permitir independência em criar e desenvolver estratégias ou tomar decisões, este tipo de empresa pode formalmente efetuar negócios e emitir faturas em RMB.

De facto, é um investimento importante que deve ser cuidadosamente considerado.

A favor

  • Processo de tomada de decisão rápido
  • Sem necessidade de partilhar tecnologias, conhecimento etc. com os parceiros locais
  • Total propriedade
  • Sem problemas culturais

Contra

  • Investimento de capital apenas de uma das partes
  • Menores possibilidades de contacto com o mercado local (conhecimento de mercado) e com a sociedade local (processo governamental)

JV – Joint Venture

Uma Joint Venture é uma empresa que é parcialmente detida por um investidor estrangeiro e parcialmente por um parceiro Chinês.

De forma geral, uma JV é a forma mais comum de estabelecer uma empresa na China, que legalmente requer um parceiro local.

Existem dois tipos de joint ventures:

  • JV Contratual (JVC)

Este tipo de JV permite a divisão dos lucros e perdas de acordo com a previsão específica mencionada no contrato da JVC.

  • JV Equitativa (JVE)

Este tipo de JV permite a distribuição de lucros e perdas de acordo com a equidade referente às ações na JVE. No mínimo 25% do capital investido deve ser da empresa estrangeira, para estabelecer este tipo de JV.

http://www.pathtochina.com/reg_jv.htm

Para resumir e esclarecer, apresentamos este gráfico:

A favor

  • Capital de foi oua mais accionistas
  • Guanxi relevante com a sociedade local
  • Partilha de custos e riscos

Contra

  • Processo de tomada de decisão demorado
  • Partilha de tecnologia e conhecimento(risco de propriedade intelectual)
  • Diferença cultural (mesmo a nível de gestão de topo)

E ter uma loja online?

O comércio eletrónico é um sector em crescimento que oferece muitas possibilidades às empresas Europeias. No entanto, é um novo mercado que deve ser cuidadosamente estudado de acordo com o público-alvo, os objetivos e propósitos que uma empresa pretende alcançar.

Para criar uma loja online é na mesma necessário criar uma EPTE ou, se a empresa já estiver a operar na China, algumas alterações serão provavelmente necessárias.

Relativamente a este investimento em particular é fundamental contratar uma empresa especializada em criar este tipo de negócios.

Observe a apresentação da P&P (Shanghai) Business Consultancy Co., Ltd. :

https://prezi.com/x9qsj1jmbg-n/

Bibliografia

Dennis, A. Leventhal, How to Leap a Great Wall in China, Merwin Asia - June 2014

Kerry Brown, China and the EU in Context: Insights for Business and Investors – May 2014r

Ligações externas

Project 2014-1-PL01-KA200-003591